Curiosidades

Qual é o papel do farmacêutico nas farmácias?

O papel do farmacêutico na farmácia é cuidar da saúde das pessoas, para que elas recebam o medicamento ou outros produtos para a saúde nas condições corretas de armazenamento e conservação; para que a prescrição, mesmo aquela feita por outros profissionais da saúde, seja a mais adequada aos problemas de saúde apresentados; e para que o medicamento prescrito seja utilizado da forma correta e dê o melhor resultado possível. Para isso, é exigido por lei que o farmacêutico esteja presente na farmácia durante todo o seu período de funcionamento, inclusive supervisionando o trabalho da equipe que atua no estabelecimento.

Existe consulta farmacêutica?

A consulta farmacêutica é o atendimento realizado pelo farmacêutico ao paciente, respeitando os princípios éticos e profissionais, com a finalidade de obter os melhores resultados com a farmacoterapia e promover o uso racional de medicamentos e de outras tecnologias em saúde. A consulta farmacêutica também visa à prevenção de doenças e à promoção da saúde. Esse atendimento deve ocorrer em um espaço apropriado, para que o farmacêutico tenha a privacidade necessária para ouvir e orientar pacientes, familiares e cuidadores. A consulta farmacêutica pode ser realizada de modo autônomo ou nas dependências de hospitais, ambulatórios, farmácias comunitárias, unidades multiprofissionais de atenção à saúde, instituições de longa permanência e demais serviços de saúde, no âmbito público e privado.

O farmacêutico pode receitar medicamentos?

No Brasil, da mesma forma que ocorre em outros países, vários profissionais da saúde podem prescrever medicamentos. É o caso de odontólogos, enfermeiros, psicólogos e farmacêuticos. No caso dos farmacêuticos, a prescrição de determinados medicamentos é autorizada aos profissionais legalmente habilitados e registrados nos conselhos regionais de Farmácia. E a prescrição farmacêutica não se restringe à prescrição de medicamentos, podendo envolver outras intervenções relativas ao cuidado à saúde do paciente. O farmacêutico pode prescrever, por exemplo, o encaminhamento ao médico, caso o problema de saúde apresentado requeira esse cuidado. A normativa que autoriza a prescrição farmacêutica é a Resolução do Conselho Federal de Farmácia (CFF) nº 586/13.

Quais medicamentos ele pode prescrever?

De forma independente, o farmacêutico pode prescrever medicamentos isentos de prescrição médica, para problemas de saúde autolimitados, com a finalidade de promover, proteger e recuperar a saúde do paciente, além de prevenir doenças e outros problemas de saúde. O autotratamento pode ser mais eficaz e seguro quando o paciente tiver o apoio do farmacêutico para a seleção da terapia adequada ao seu caso.

Já a prescrição de medicamentos tarjados ou cuja dispensação exija a prescrição médica tem outras regras. Ela é permitida ao farmacêutico especialista, tanto para iniciar como para fazer modificações no tratamento. Mas, para isso, é obrigatório que existam diagnóstico prévio e programas, protocolos, diretrizes clínicas ou normas técnicas aprovados para uso no âmbito das instituições de saúde. Ou, ainda, quando da formalização de acordos de colaboração com outros prescritores.

O farmacêutico pode pedir exames laboratoriais?

De acordo com a Resolução do Conselho Federal de Farmácia (CFF) nº 585/2013, o farmacêutico somente pode solicitar e avaliar resultados de exames com a finalidade de acompanhar os resultados do tratamento ao qual o paciente está sendo submetido, ou seja, para verificar se os medicamentos em uso estão realmente produzindo o efeito esperado. Isso é importante porque possibilita a ele dispensar um cuidado individualizado ao seu paciente, contribuindo com o sucesso do tratamento. O farmacêutico não pode solicitar exames com finalidade de diagnosticar doenças.

Quais são os serviços e procedimentos que o farmacêutico está autorizado a realizar na farmácia?

Nas farmácias, já há bastante tempo, os farmacêuticos estão autorizados a prestar serviços como acompanhamento do tratamento e educação em saúde. Eles também podem realizar procedimentos como aplicação de injetáveis, testes para dosagem de glicemia capilar, verificação de temperatura e de pressão arterial. A novidade é que, com a publicação da Lei nº 13.021/14, que mudou o conceito de farmácia no país, classificando esse estabelecimento como uma unidade de assistência à saúde, esses serviços e procedimentos ganharam maior importância. Agora, a assistência farmacêutica está definida como um conjunto de ações e serviços voltados a uma assistência terapêutica integral, e à promoção, proteção e recuperação da saúde, além do acesso aos medicamentos e o seu uso racional. Lembre-se: farmácia não é mais apenas comércio! É também um lugar para cuidar da saúde, e onde a autoridade técnica é o farmacêutico!

É possível tomar vacinas em farmácias?

Em alguns estados da federação é permitido que as farmácias comercializem e apliquem vacinas. Mas, a Lei n° 13.021/14 ainda está em processo de regulamentação. É essa lei que autoriza as farmácias a dispor, para atendimento imediato à população, de medicamentos, vacinas e soros que atendam o perfil epidemiológico de sua região demográfica. Os conselhos federal e regionais de Farmácia têm lutado incansavelmente para garantir o acesso a esse procedimento em farmácias para toda a população do país.